8.5.10

Padre Mário desmascara as supostas aparições da Virgem Maria em Fátima

Padre Mário desmascara as mentiras das supostas aparições da Virgem Maria em Fátima

Livro do Padre Mário de Oliveira – Fátima Nunca Mais
www.scribd.com/doc/6744447/FATIMA-Nunca-Mais-Mario-de-Oliveira

Sobre as supostas aparições:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Apari%C3%A7%C3%B5es_de_F%C3%A1tima


Para ouvir o depoimento do Padre Mário de Oliveira abrir o Link:
http://videos.sapo.pt/NcWCFAthUDOt5CN7HdV1

Estreia hoje a peça O Papalagui no Teatro da Vilarinha (fica em cena até 23 de Maio)




A companhia de teatro Pé de Vento estreia hoje, sábado, 8 Maio, às 21h30, no Teatro da Vilarinha , a peça

O PAPALAGUI, Discursos de Tuiavii, Chefe de Tribo de Tuiavéa nos mares do Sul


com encenação de João Luiz

O Papalagui, para maiores de 10 anos, no Teatro da Vilarinha, no Porto (Rua da Vilarinha, 1386), fica em cena desde o dia 8 até 23 de Maio:
sábados, às 16h00 e 21h30;
domingos, às 16h00.
As sessões para o público escolar, disponíveis mediante marcação, acontecem de 3ª a 6ª feira, às 11h00 e às 15h00.
Teatro da Vilarinha
Rua da Vilarinha, 1386
4100-513 Porto
tel. 226 108 924


O Papalagui - ou seja, o Branco, o Senhor - é o nome dado aos discursos do Chefe de Tribo de Tiavéa, uma das ilhas da Samoa.


Tuiavii sentiu desejo de conhecer a longínqua Europa. Em 1910, juntou-se a um grupo de autóctones provenientes da Ásia que visitou todos os países europeus. Através do seus olhos descobrimos um outro lado da civilização europeia e como um indivíduo ainda intimamente ligado à natureza nos vê, a nós e à nossa cultura. E isso com uma simplicidade que já perdemos.

Hoje, ainda hoje, O Papalagui significa, para nós, a possibilidade de confronto e de diálogo entre várias culturas, como aventura espiritual que se manifesta através do debate, da dúvida, do questionamento, da ruptura com a nossa soiLdão, abrindo as portas à comunicação intensa que o teatro torna possível.



Autor: Tuiavii
(textos recolhidos por Erich Scheurmann)
Dramaturgia e Encenação: João Luiz
Interpretação: Paulinho Oliveira
Cenografia: Rui Aguiar
Figurino: Susanne Rösler
Desenho de luz: Rui Damas
Edição e projecção de imagens: Rui DamasConstrução: Joaquim Pereira
Montagem: Rui Azevedo


http://teatropedevento.blogspot.com/

Joana come o Papa





Joana Come o Papa
de Rui Rebelo


www.facebook.com/?ref=home#!/ruirebelo2



Come o papa,
meninos come o papa
Come o papa,
meninos come o papa,
meninos come o papa

Um, dois, três,
um menino de cada vez
Quatro, cinco, seis,
presidentes e reis
Vão ao beija-mão do papa

REFRÃO

Sete, oito, nove,
ainda nada se resolve
Dez, onze, doze,
à espera que a mosca pouse
nesta água benta podre

REFRÃO

Treze, catorze e meia,
a coisa está mesmo feia
Dezasseis, dezassete,
cuidado com o cacetete
quando aí vier o papa

REFRÃO

Afinal
não eram os comunistas
Que comiam
criancinhas ao almoço
quem comia era o papa

REFRÃO

pelos vistos
também temos os bispos
e às grades
não confessam os padres
nem uma palavra do papa

REFRÃO

vou pra rua
chamar a Joana
come o papa
Joana come o papa
há mais vida sem o papa

(Letra do Miguel Castro Caldas)

A cultura das sociedades aborígenes australianas (sessões de divulgação na Casa da Horta, dia 12 e 19 de Maio)





A cultura das sociedades aborígenes australianas, modos de vida, lei e choques com a cultura ocidental.

Dois filmes que mostram a adaptação desta cultura a uma nova forma de estar.

Duas sessões para quem se interessa pela cultura que nos deu a
conhecer o Didgeridoo.

Quarta-feira, dia 12 de Maio, 21:45h
Projecção do filme Dhakiyarr vs The King, Graeme Isaac , 2004, 56 minutos
The family of the great Yolngu leader Dhakiyarr Wirrpanda is searching for answers. Seventy years after his controversial murder trial and
subsequent disappearance, Dhakiyarr’s body has still not been found.
His descendants know that justice was not served. They want to restore what was denied to him: his honour. This is their story, told in their own words – of two laws, two cultures and two families coming to terms with the past.
Mais informações:
www.abc.net.au/tv/guide/netw/200405/highlights/226866.htm

Quarta-feira, dia 19 de Maio, 21:45h
Projecção do filme The Change at Groote, Richard Mason, 1968, 27 minutos
This award-winning film was designed to show how the Aboriginal people of Groote Eylandt in the Gulf of Carpentaria adjusted to the new life brought about by the discovery of manganese on their land. The director and writer of the film described it as a fragmented collage of images and sounds, intended to produce a direct emotional response.
The result is a flood of images, some of them flicking past almost too quickly to be grasped, others repeated over and over again to induce special effects..
Mais informações em: www.abc.net.au/aplacetothink/html/groote.htm

Depois do filme haverá um concerto acústico de didgeridoo e outros instrumentos com Rodrigo Viterbo.






Casa da Horta, Associação Cultural

Rua de São Francisco, 12A4050-548 Porto

Perto da Igreja de São Francisco e Mercado Ferreira Borges.
Email:
casadahorta@pegada.net

Tel: 222024123 / 965545519

Great Global Kiss-In (15 de Maio às 15h. flash-mob na estação de metro da Trindade no Porto, e Largo do Chiado em Lisboa) contra a homofobia

Celebrar o amor com todas as cores. É este o mote da incitava Great Global Kiss-in, organizada pela IDAHO, que pretende juntar pessoas em todo o mundo para um acontecimento flash mob nas principais cidades.


Um beijo é uma expressão simples de amor e afeto entre duas pessoas que se amam: não há nada vulgar, obsceno ou nojento nele. Em maio de 2009, um grupo de alunos franceses cansou-se do desconforto que é beijar o/a companheiro/a em público e decidiu organizar o primeiro kiss-in. Juntaram-se e, durante 5 minutos, na cidade do amor, beijaram os seus companheiros para espanto dos transeuntes. A intenção é alertar para a necessidade de banalizar as expressões de afeto entre homossexuais, tudo num ambiente amigável e descontraído.


Este ano, o MICA-me junta-se esta causa, e por altura da comemoração do Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia a 17 de maio, pretende, assim, juntar todos os que acreditam no amor e na igualdade – sejam gays, lésbicas, bissexuais, heteros ou pansexuais.

É já dia 15 de maio (sábado), às 15h, na estação de metro da Trindade no Porto, e no Largo do Chiado (junto ao Café A Brasileira) em Lisboa.




Só precisas de trazer o/a teu/tua namorado(a), marido, esposa, companheiro(a) ou amigo(a) e, ao som do apito, beijarem-se ou abraçarem-se durante cinco minutos pela igualdade.

The Great Global Kiss-in é um projeto oficial do Comité para o Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia (IDAHO) e Gays.com


O que é um kiss-in?
Resumidamente um kiss-in é uma flash mob de pessoas que se encontram num local público a uma dada data e hora com o seu namorado, sua namorada, marido, mulher ou companheiro/a para se beijarem. Pode ser um encontro pequeno (10 pessoas ou menos) ou grande (centenas de pessoas).





Porquê este kiss-in?
Este kiss-in é simplesmente uma afirmação pública de amor, liberdade e igualdade no Porto. Um beijo é uma simples expressão de amor e afecto entre duas pessoas que se amam – não há nada de vulgar, obsceno ou nojento nisso.





Quem pode participar?
Tu! Sim, tu! E qualquer pessoa que acredite no amor e igualdade para todos. Esta acção não é apenas para gays, lésbicas ou bissexuais – queremos que os nossos amigos, vizinhos ou colegas heterossexuais lá connosco!





Quando se vai realizar?
A nível mundial, o Great Global Kiss-in realizar-se-à entre dia 14 e 17 de maio. Já inclui cidades como Paris, Berlim, Londres, Shanghai, San Francisco e Tokyo. No Porto a iniciativa realizar-se-à no dia 15 de maio, às 15h, na praça da estação de metro da Trindade.





Mas eu não tenho ninguém para beijar! O que faço?
Desculpa, mas nisso não te podemos ajudar! Até pode ser que a situação mude até lá, mas mesmo que isso não aconteça, esperamos poder contar com a tua presença na Trindade com um amigo, e simplesmente abraçam-se. O evento pretende demonstrar afectos, não apenas relações de cariz mais íntimo.




http://www.mica-me.org/


http://tramadas.blogspot.com/


http://gays.com/en


http://idahomophobia.org/wp/?p=1832&lang=en






O movimento operário e a 1ª República ( Conferência na Universidade Popular do Porto no dia 15 de Maio)

Integrada no Ciclo de Conferências para assinalar os 100 anos da República realiza-se na Universidade Popular do Porto uma Conferência sob o seguinte tema:


O Movimento Operário e a 1a República
Sábado, 15 de Maio de 2010


1a Sessão
10h-12h.30
2a Sessão
15h-17h.30

Orientação:
Silvestre Lacerda, Arquivista, Director do Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Programa
O debate sobre a opção do regime político: monarquia ou república?
As aspirações populares e o inquérito às Associações de Classe.
As primeiras iniciativas legislativas do novo regime republicano: lei da greve e lock-out
A criação da União Operária Nacional
Guerristas e anti-guerristas: as lutas pela subsistência
A Confederação Geral do Trabalho, o diário A BATALHA e a fundação do PCP
A União dos Interesses Económicos e os governos canhotos e as diferentes organizações operárias


Informações e Inscrições
Inscrições na sede da UPP,

na Rua de Augusto Luso,167, 1o, Porto,

de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 18h.30.

Telefone: 226098641 Fax: 226004335